BLOG DO ENG. ARMANDO CAVERO MIRANDA -BRASIL


MACHUPICHU MARAVILHA DO MUNDO

"Two things are infinite: the universe and human stupidity; and I'm not sure about the the universe." ALBERT EINSTEIN - “SE SEUS PROJETOS FOREM PARA UM ANO,SEMEIE O GRÂO.SE FOREM PARA DEZ ANOS,PLANTE UMA ÁRVORE.SE FOREM PARA CEM ANOS,EDUQUE O POVO.” "MATH IS POWER TO CHANGE THE WORLD AND THE KEY TO THE FUTURE" 'OBRIGADO DEUS PELA VIDA,PELA MINHA FAMILIA,PELO TRABALHO,PELO PÃO DE CADA DIA,PROTEGENOS E GUARDANOS DE TODO MAL"

sábado, 4 de outubro de 2014

"Política de estado coerente e arrojada é fundamental para a Matemática no Brasil", diz Marcelo Viana presidente da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM)


A busca pela melhora no ensino da Matemática na educação básica brasileira é uma constante. Para alcançar melhores resultados, a Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) criaram o Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional (PROFMAT), voltado para professores em exercício da disciplina. Para falar sobre essa iniciativa e outras formas de melhorar o ensino de Matemática no país, o 3º Diálogo Brasil e Alemanha convidou o presidente do conselho gestor do projeto, Marcelo Viana, para palestrar sobre o assunto.

Pesquisador Titular do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), presidente da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e membro do Comitê Executivo do MCofA – Mathematical Council of the Americas, o professor reconhece que há inúmeros problemas no ensino da Matemática no Brasil.

“Mais que qualquer outra, a Matemática exige que o aluno participe ativamente no processo de aprendizagem. Mas essa atitude não costuma ser estimulada em sala de aula”, lamenta Viana. “A Matemática é, também, um corpo de conhecimento sequencial: se uma parte não é devidamente aprendida, muito do que vem depois vai parecer um jogo sem sentido.” 

Para ele, a escala gigantesca do sistema educacional brasileiro, o subdesenvolvimento sócio-econômico-cultural, a péssima capacitação para a formação de professores, a cultura de não privilegiar a educação como instrumento para o desenvolvimento individual e nacional estão entre os principais entraves para a Matemática no país. Além disso, o especialista também criticou aspectos estruturais do sistema educacional.  “O aluno é nivelado por baixo, em nome de uma isonomia sem sentido”.
Sobre a formação de professores, Viana afirma que, além da péssima formação dada nos cursos de licenciatura, eles ainda precisam enfrentar a desvalorização que a profissão do professor alcançou no Brasil. “A carreira de professor acaba sendo, muitas vezes, o destino de profissionais sem a necessária vocação, apenas porque não estão habilitados a outras carreiras que lhes seriam mais atraentes. Há exceções, mas está longe de ser a maioria”, declara Viana.

Ele sugere uma série de ações, como mais rigor acadêmico no licenciamento de instituições, reestruturação da carreira do professor e melhoria da infraestrutura das escolas. “Essas medidas exigem coragem política. Não acredito que seja possível alcançar verdadeiro avanço nesta área sem uma política de Estado coerente e arrojada.”

Como exemplos de sucesso no ensino da Matemática, Viana cita a Coréia do Sul, Cingapura e os países escandinavos. São países que, segundo ele, podem nos ensinar algumas lições. “A primeira é que os países que possuem os melhores sistemas de ensino são aqueles em que a formação e a atuação do professor da escola básica são valorizadas. A segunda é que os países em que os alunos aprendem mais Matemática são aqueles cujas culturas e sociedades mais valorizam a educação e o trabalho. Falta saber o que queremos fazer com essas lições”, conclui.

Marcelo Viana da Silva é doutor em Sistemas Dinâmicos pelo IMPA e atualmente atua como pesquisador titular da instituição, já tendo ocupado o cargo de diretor adjunto. Membro titular da ABC, ele é presidente da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e do Conselho Gestor do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional (PROFMAT), do qual foi um dos idealizadores. Foi também responsável pela criação das Jornadas Nacionais de Iniciação Científica em Matemática.
WBSITE ORIGINAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário